Winamp Windows Media Player QuickTime Android iOS

Descarrega a nossa app

googleplay2
appstore

Autenticação

Visitantes online

Temos 642 visitantes e sem membros em linha

 

O Mais Kizomba informa que cortou relações institucionais com a editora portuguesa Vidisco, devido às mais recentes posições desta empresa, em especial pelo seu responsável Carlos Nazir.

A Vidisco tem vindo deliberadamente a bloquear vídeos no nosso canal de YouTube de artistas que assinaram recentemente com eles, criando-nos um problema de todo evitável, prejudicando inclusive os seus artistas.

A Vidisco não ignora certamente que, ao bloquear vídeos no nosso canal, o mesmo corre o risco de ser desactivado pelo YouTube, com perdas de receitas assinaláveis e consequentes ganhos para a Vidisco pela eliminação da concorrência.

Todos os autores autorizaram o Mais Kizomba a divulgar os vídeos (a prova é abundante), pelo que se a editora quer explorar em exclusivo tais conteúdos apenas precisaria de expressamente nos contactar a fim de removermos o vídeo.

Mas a Vidisco não tem tido esse comportamento, antes iniciando uma guerra que só pode ter como consequência a via judicial. A Vidisco sabe de toda a situação, mas continua a abusar da sua posição, fingindo que o Mais Kizomba tem poderes adivinhatórios para saber quando é que um artista assina contrato com eles.

De salientar que após terem bloqueado o primeiro vídeo o nosso advogado contactou a Vidisco a fim de pedir uma lista de músicas que estivessem no nosso canal e cujos direitos lhes pertencessem, para que os pudéssemos remover de forma voluntária. Nós fizemos o mesmo com duas músicas cujos direitos nos pertencem e se encontravam no canal deles. Em vez de enviar a lista a Vidisco bloqueou novo vídeo no nosso canal e entretanto retirou os dois que nos pertencem do seu canal, de forma a evitar que lhes fizéssemos o mesmo.

Pedimos, também, a todos os artistas e produtores que assinaram com a Vidisco que nos contactem o quanto antes para retirarmos as suas músicas do nosso canal e que de futuro não nos enviem mais material para lançar enquanto o contrato com eles for válido. A nossa boa-fé é assim tornada pública e maior transparência é impossível.

E por favor, partilhem esta informação com todos os vossos contactos, de forma a chegar ao máximo de profissionais da kizomba, para que possam tomar decisões informadas quanto à sua vida no mundo da música.

A administração do Mais Kizomba

maiskizomba

 
 
 
 
 

Ao usar este site aceita a utilização de cookies para análise, conteúdo personalizado e anúncios.